sexta-feira, 23 de agosto de 2013

Câmara Municipal de Bayeux- PB discute em audiência uso de arma de fogo por agentes da Guarda Municipal.

A Guarda Municipal de Bayeux- PB participou na ultima quinta-feira 15/08/13 de uma audiência pública na câmara municipal. A audiência foi proposta pela comissão de segurança pública da câmara com a finalidade de debater “o porte institucional de arma de fogo para a Guarda Municipal” debatendo e escutando autoridades competentes na área da segurança pública.
O prefeito Dr. Expedito Pereira foi o primeiro a fazer uso da palavra e foi enfático ao relatar o tema, dizendo que tinha dúvidas.
“Quanto ao caso específico, armar ou não armar a Guarda Municipal, particularmente, eu tenho dúvidas. Eu não tenho uma posição firmada, tenho dúvidas” Destacou o prefeito.
Para Dr. Expedito é necessário escutar a sociedade, pois a discussão estar apenas começando, e os pontos positivos e negativos têm que ser debatidos e que devem chegar a um denominador comum.
O Major Magno, comandante da companhia de Polícia Militar de Bayeux, explanou sobre o seu vasto conhecimento na área da segurança em seus dezoito (18) anos de polícia, destacando que andar armado com arma de fogo é um ato de muita responsabilidade, mas defendeu que o Guarda Municipal andando armado existe a possibilidade de ele defender a sociedade com mais afinco,
“Eu sou favorável que os senhores fiquem armados. E se é para armar, então arme de folga e de serviço, porque se é para assumir a responsabilidade de andar armado tem que ser de serviço e de folga. Se é para armar, tem que armar completamente. Quem trabalha com segurança, quem trabalha com interesses particulares tem que andar armado, essa é minha opinião, pois eu não estou aqui para dizer o que as pessoas querem, e sim, aquilo que eu sinto e aquilo que eu vejo” Destacou o Major Magno.
O secretário municipal de segurança de Bayeux, o sargento Ricardo, relatou que o porte de arma não seria para todos os Guardas a princípio, pois a ideia seria criar um pelotão e auxiliar aos outros órgãos policiais.
O capitão Pedro (Policia Militar) secretário adjunto da segurança municipal em Bayeux, explanou que o porte seria apenas institucional, para uso exclusivo em serviço. O capitão fez aapresentação da Guarda Municipal para os presentes no debate.
O Guarda Municipal Tavares, que é formado em direito e tem registro na OAB/PB, fez uma belíssima apresentação dentro dos termos jurídicos que respaldam a GM andar armada, apresentando todos os dispositivos legais que permitem tal direito, ou, benefício.
“Mecanismos estes, alguns que já completaram uma década, é inconcebível e inadmissível que nós, agentes de segurança pública, atuemos ainda comum simples cassetete nas mãos” Defendeu Tavares.
Ponto de vista dos vereadores:
O vereador Roni Alencar, presidente da câmara, propôs que a discussão fosse levado a cada bairro, através das associações, para que o tema fosse debatido com o povo, mas que é favorável com o que for melhor para a Guarda Municipal e que pudessem contar com ele.
A vereadora Lucilia de Bel defendeu que a ideia seja amadurecida, para que no final de tudo, tenhamos certeza no que for decidido.
O vereador Kita defendeu que gostaria de dar condições de trabalho para a Guarda Municipal, defendendo que a Guarda é preparada e que é favorável ao armamento da GM.
O vereador Nildo de Inácio afirmou que sem estrutura adequada e sem porte de arma já realizam muita coisa, imagine o que não fariam devidamente estruturados.
O vereador Rubem defendeu que é uma coisa simples, pois a câmara não estaria formulando lei, nem armando qualquer um, estaria armando uma instituição para a defesa da sociedade. Rubem falou com muito zelo da GM e destacou o brilhante trabalho que ela tem prestado dentro do município, afirmando também que é a favor do armamento da Guarda Municipal.
O vereador Lico destacou que o tema tem que ser mais aprofundado, conscientizando a corporação dos evidentes problemas para quem usa arma de fogo, mas que seu voto seria colegiado.
A vereadora Dedeta também exortou que a temática é polêmica e de muita responsabilidade, mas que se é para o bem de todos, e a felicidade geral de Bayeux, ela vota a favor para armar todos os GMs.
O vereador Ory destacou que a Guarda Municipal é a terceira força de segurança do país que é mais bem vista e aceita pela sociedade de todo o pais, ficando apenas atrás da polícia Federal e do Exercito brasileiro, defendendo que é favorável ao armamento da Guarda Municipal.
Já o vereador Nôquinha foi enfático em suas palavras e afirmou ser favorável ao armamento da Guarda Municipal.
O vereador Álvaro também afirmou dar todo apoio à Guarda Municipal, pois conhecia o brilhante trabalho da Guarda Municipal nas festas públicas e o zelo pelo município.
Desabafo de uma mãe de um Guarda Municipal:
A senhora Rosangela Oliveira desabafou que fica preocupada quando o seu filho veste a farda, pois depois de fardado ele se torna uma autoridade, e uma autoridade desarmada.
“Eu fico muito preocupada quando colocam o meu filho em uma linha de frente como colocam nas festas, e eu vejo os bandidos armados rodeando, e meu filho estar desarmado. Eu vim para o protesto que teve aqui, mas vim com medo, olhando, porque se fosse uma coisa grande como teve lá no Rio de Janeiro e São Paulo, eu iria ser o escudo do meu filho, porque eu sabia que o colete que ele tinha, não tinha placa que defendesse ele” Desabafou Dona Rosangela.
O senhor Assis Trajano, pai de um Guarda Municipal, enalteceu a corporação afirmando que a Guarda presta um relevante serviço a cidade de Bayeux e pediu que a gestão desse condições e veja com bons olhos, pois a guarda já é um destaque.
O GM Coelho afirmou que para que a Guarda esteja armada, é necessário que se tenha o estatuto, que venha a regulamentar o armamento na corporação, criando as atribuições do corregedor para a categoria.
O Gm Ribeiro afirmou que já existe base legal para que a corporação venha a ser armada, só estar faltando a regulamentação.
O Gm Nascimento falou que a Guarda Municipal será uma força preventiva, zelando para o bem comum.
O cabo Roberto (policial militar) declarou que os guardas Municipais sabem o peso da responsabilidade de se portar uma arma de fogo e afirmou ser favorável que a corporação venha a ser armada.
A comissão de segurança pública da câmara municipal de Bayeux é composta pelos vereadores: Junior do Ki Preço, Sargento Arnóbio e Lucília de Bel.
         
Da redação por Arimatéia Sousa/ portal Conde News.





















Nenhum comentário:

Postar um comentário