quinta-feira, 5 de fevereiro de 2015

À beira da morte: Médico diz que nada mais pode ser feito por filha de Whitney Houston , diz revista


Whitney Houston e sua filha Bobbi Kristina Brown durante show em Nova York, em 2009

Do UOL, em São Paulo
Kristina foi encontrada inconsciente pelo marido, na banheira de sua casa.
Na última quarta-feira (4), os médicos informaram para família de Bobbi Kristina, 21 anos, filha da cantora Whitney Houston, que nada mais poderia ser feito no caso da jovem. A informação é da revista "People".
"Todos estão vindo até o hospital para se despedirem", disse um membro da família.
As notícias são devastadoras especialmente para o músico Bobby Brown, pai de Bobbi. "Ele está chorando sem parar desde ontem. Estamos de luto", contou a fonte.
Um outro membro da família esteve no hospital e afirmou que a notícia além de devastadora é difícil de acreditar. "Se você a vir, irá pensar que ela está apenas dormindo", contou a fonte.
Mesmo com o prognóstico sombrio, a família ainda tem alguma esperança. "Estamos rezando para que Deus venha intervir e curar seu corpo", afirmou o familiar para publicação.
Bobbi Kristina foi encontrada inconsciente pelo marido, Nick Gordon, na banheira de sua casa perto de Atlanta, no estado da Geórgia, no último sábado (31).
A jovem foi reanimada pelas equipes de emergência e precisou ser internada em coma induzido em uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI).
O incidente se assemelha muito às condições da morte de sua mãe, em 11 de fevereiro de 2012, no Hotel Beverly Hilton, em Los Angeles.
A cantora Whitney Houston, de 48 anos, foi encontrada morta na banheira de seu quarto de hotel, após uma overdose de drogas, álcool e remédios. A perícia concluiu que a morte foi acidental, facilitada pelo uso de cocaína e por condições cardíacas.
Na terça, a polícia informou ter encontrado drogas na casa da jovem. De acordo com o site especializado em celebridades TMZ, uma fonte da família da jovem confirmou que as autoridades acharam substâncias suspeitas e levaram vários objetos para análise.

Uol

Nenhum comentário:

Postar um comentário