quinta-feira, 29 de janeiro de 2015

Estudantes de medicina buscam doadores de fezes para salvar pacientes com problemas



Pode soar estranho, mas um grupo de estudantes de medicina nos Estados Unidos busca doadores de fezes para a realização de transplantes fecais. As informações são do site The Independent desta quinta-feira (29).
A ideia do banco de fezes surgiu quando um amigo incomum de James Burgess e Mark Smith estava à procura de tratamento para a colite pseudomembranosa — doença que causa diarreias persistentes, podendo levar à desidratação e infecção generalizada.
Irritado com a incapacidade das terapias padrões para curar a doença, ele resolveu encarar o transplante fecal. O problema é que o homem se deparou com uma fila de espera de seis meses. Diante do cenário, Burgess e Smith resolveram criar um banco de fezes para ajudar as pessoas que sofrem de colite.
Com o slogan “Suas fezes podem mudar a vida de uma pessoa”, o banco oferece R$ 100 (US$ 40) por amostra. Os doadores que têm uma frequência de voltar cinco vezes por semana ganham um adicional de R$ 130 (US$ 50), resultando em R$ 650 (US$ 250) por semana.
Antes de achar que é um dinheiro “fácil” de ganhar, vale ressaltar que os doadores devem primeiro passar por uma avaliação clínica e atender aos 109 requisitos, explica o gastroenterologista Zain Kassam.
— Esse processo exclui um elevado número de pessoas. Após a avaliação, a pessoa passa por exames laboratoriais para garantir que a saúde está em perfeitas condições. O material só é liberado para a realização do transplante se passar por todas as etapas de testes.  A segurança é a prioridade número do banco.

Do R7

Nenhum comentário:

Postar um comentário