quarta-feira, 5 de dezembro de 2012

PARLAMENTARES PARAIBANOS NO CONGRESSO TENTAM DERRUBAR VETO DE DILMA SOBRE OS ROYALTIES DO PETRÓLEO.


                  TUDO POR JUSTIÇA.
Reunidos nesta terça-feira, 4, em Brasília, os deputados federais e senadores paraibanos decidiram iniciar um movimento para derrubar o veto da presidenta Dilma Rousseff ao projeto de lei que define a divisão dos royalties do petróleo do pré-sal.

O objetivo é reestabelecer o texto aprovado pelo Congresso, que dava direito aos estados não produtores de receberem parte desses recursos. O coordenador da Bancada, deputado Manoel Junior (PMDB) que promoveu o encontro, disse durante a reunião, que a Bancada vai recorrer ao presidente do Congresso, José Sarney (PMDB-AP) - que está no exterior, para pedir que coloque o veto em votação imediatamente. “‘O nosso movimento não é contra a presidenta Dilma, nem contra o governo federal, mas por justiça na distribuição dos royalties’’, declarou”.

A Bancada decidiu apresentar um requerimento assinado por todos os deputados federais e senadores paraibanos pedindo urgência na votação do veto nº 38, da Presidência da República à Lei 12.7734/12, que determina novas regras de distribuição dos royalties do petróleo.

Para Manoel Junior a distribuição dos royalties do petróleo, da maneira como está sendo feita atualmente é injusta e contribui significativamente para o aumento da desigualdade regional no Brasil, já que os recursos ficam concentrados no Rio de Janeiro e No Espírito Santo e as regiões mais pobres, como o semiárido brasileiro e a região amazônica que precisam do investimento dessas riquezas não são beneficiados.

Além de Manoel Junior, a reunião contou com participação dos deputados Leonardo Gadelha (PSC), Romero Rodrigues (PSDB), Ruy Carneiro (PSDB), Hugo Motta (PMDB) e dos senadores Vital do Rego (PMDB), Cícero Lucena (PSDB) e Cássio Cunha Lima (PSDB). O vice-governador, Rômulo Gouveia (PSDB), também participou do encontro.

Blog do Tião Lucena.
                                                                    
                                                                                                     INICIO

Nenhum comentário:

Postar um comentário